SÃO PAULO - A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) programou uma greve geral de três dias para a categoria, com uma agenda de atividades em todo o País, para protestar contra o não cumprimento da Lei Nacional do Piso do Magistério, segundo o órgão.

De acordo com informações da CNTE, 17 Estados não pagam o piso de R$ 1.451,00 anunciado pelo Ministério da Educação (MEC) e o mesmo número não cumpre a jornada extraclasse definida por lei.

A paralisação pretende atingir funcionários das escolas públicas das redes estadual e municipal entre esta quarta-feira, 14, e a próxima sexta-feira, 16, segundo o CNTE, que ainda não tem um balanço sobre a adesão dos trabalhadores no primeiro dia de paralisação.

Estão programadas para o dia de hoje várias manifestações pelo País, inclusive para defender o maior investimento público em Educação, com a previsão de 10% do Produto Interno Bruto no Plano Nacional de Educação (PNE).

Segundo a CNTE, na sexta-feira serão realizadas assembleias nas sedes dos sindicatos para decidir a continuidade da paralisação. Em São Paulo, de acordo com a confederação, estão previstas panfletagens e atos em locais públicos nos três dias de paralisação. A Secretaria Estadual de Educação de São Paulo também não tem levantamento sobre a adesão à paralisação.

Por Solange Spigliatti, estadao.com.br, Atualizado: 14/3/2012 9:36